Sidney - Aegintha temporalis [artigo]

Opiniões e ideias experientes

Sidney - Aegintha temporalis [artigo]

Mensagempor LLourenco92 » sábado, 25/Oct/2014, 21:41

Boa noite,

Deixo aqui um artigo feito por mim sobre a manutenção e reprodução desta espécie.

http://lourencoaves.blogspot.pt/2014/10/sidney-aegintha-temporalis.html


Sidney (Aegintha temporalis)
Sidney
Aegintha temporalis

1393635_589627261097722_1570691784_n.jpg
Casal de Sidneys ao lado de um casal de Forbes (Erythrura tricolor)

Comprimento
Cerca de 12 cm

Medida das anilhas
2,5mm

Distribuição
Costa este da Austrália.
Introduzido na Polinésia Francesa.


Red-browed_Finch_range.jpg
Distribuição
Existem 2 subespécies, a nominal (Aegintha temporalis temporalis) e o chamado "Sidney pequeno" (Aegintha temporalis minor) ou "lesser red browed finch" , como é conhecido na Austrália. Esta subespécie habita apenas no cabo York e é muito rara em cativeiro na Austrália e inexistente na Europa.
Diferencia-se de A. temporalis temporalis pelo tamanho menor, cor mais clara e pelo ventre, peito e região debaixo do bico serem quase brancos.


TheRed-browedFinch1.jpg
TheRed-browedFinch1.jpg (13.95 KiB) Visualizado 2066 vezes
Aegintha temporalis temporalis
Fonte: http://www.birdkeeper.com.au/birdkeeper ... owed-finch

TheRed-browedFinch2.jpg
TheRed-browedFinch2.jpg (17.43 KiB) Visualizado 2066 vezes
Aegintha temporalis minor
Fonte: http://www.birdkeeper.com.au/birdkeeper ... owed-finch

Dimorfismo sexual

Os machos têm a barra ocular mais grossa enquanto que as fêmeas têm uma barra ocular mais fina, que depois do olho afunila ao contrário da dos machos que mantém a mesma grossura. A cor do peito e abdomen é de uma cor cinzenta limpa nos machos e cinzenta acastanhada nas fêmeas.



DSCF0715.JPG
Fêmea à esquerda e macho à direita


Comportamento e cuidados gerais

São aves activas e curiosas, embora demorem um pouco a ganhar confiança aquando da chegada a um novo local, mas assim que a ganham são aves bastante confiantes e alegres.
De um modo geral, são bastante pacíficos quer entre eles como com outras espécies, embora os machos quando estão com o cio possam arrancar umas penas às fêmeas ou impedir que outras aves pousem no poleiro onde se encontrem.
É uma espécie resistente.



Alimentação

Quanto a mim são muito parecidos aos bichenovs neste aspecto, preferindo uma mistura à base de painços, milho alvo branco e milho japonês (não gostam muito de alpista) e adoram espigas de painço vermelho. É uma espécie que come muito bem papa, que deve ter uma boa percentagem de proteína. Costumo dar bastantes sementes verdes que eles devoram e até aproveitam para fazer ninho. Quando estão a alimentar os filhos também se pode dar alimento vivo, como o bicho da trela/farinha (Tenebrio molitor) embora não seja estritamente necessário.



Criação

São aves que não são muito difíceis de se criar.
Precisam de espaço, pelo que uma gaiola com 1m de comprimento é o ideal se o criador estiver interessado em criar esta espécie em condições.
Rápidos a fazer o ninho, mas não tão rápidos a iniciar postura. Demoram a sentir-se confortáveis num local novo, pelo que é conveniente deixar o casal a ambientar-se primeiro antes de colocar o ninho. Assim que se ambientam e ganham confiança chocam bem, melhor que bichenovs, estrelas ou modestos por exemplo. A postura é de 4 a 6 ovos e são chocados quase totalmente pela fêmea durante cerca de 14 dias, altura em que é preferível não perturbar o casal, pois a fêmea sai do ninho ao minimo barulho mas voltando logo a seguir caso deixe de ver o criador por perto.
Infelizmente a época passada (2014) apenas consegui que o casal chocasse pois depois de as crias nascerem, a fêmea (presumo eu) bicou as patas às crias, matando-as. Numa postura ainda consegui passar para um casal de mandarins que alimentou uma cria durante quase 1 semana, mas que depois apareceu no chão morta.
Espero que em 2015 tenha mais sucesso, pois é uma espécie que gosto muito.


IMG_20140502_122815.jpg
Cria com 3 dias

Mutações

São conhecidas 2 mutações:
Castanho - nesta mutação o efeito é identico à mutação castanha nos estrelas, tornando o verde o dorso mais esbatido e o cinzento do peito, pescoço e ventre fica mais limpo.
Amarelo - rabadilha e barras oculares passam de vermelho para um amarelo torrado a puxar ao laranja.

Autor: Luís Lourenço | http://lourencoaves.blogspot.pt/
Cumprimentos,
Luís Lourenço
STAM 438M

http://lourencoaves.blogspot.com/
Avatar do Utilizador
LLourenco92
***
 
Idade: 26
Mensagens: 156
Registado: segunda, 20/set/2010, 20:29
Localização: Almada

Voltar para Artigos técnicos e de opinião

Quem está ligado:

Utilizador a ver este Fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante

cron