mais uma duvida

Opiniões e ideias experientes

mais uma duvida

Mensagempor tonhao » segunda, 22/Oct/2007, 15:39

boa tarde a todos
outra duvida espero que me possam ajudar.
por que em algumas espécies como por exemplo as rolas e os pombos das crias que nascem se formam casais e podem criar sem nenhum problemas (penso eu que assim será pois o meu falecido pai tinha pombos e penso que era assim, pois das crias nascidas era sempre um casal e era para sempre se não morrese nenhum ou os separasem). :!:

eu tenho rolas diamante será que é igual? :?:
e os outros exóticos porque não é assim? :?:
tambem tenho diamantes mandarim,bengalim do japão e canários, nestas espécies tenho de arranjar outros ou machos ou femeas para os poder cruzar por causa do sangue não é? :?:

porque? :?:
não posso"fazer" casais com as cris irmãs pois não?
:?:
e para outros exóticos deve ser igual não? :?:
pois estou a pensar dedicar-me á criação mais a sério de vários exóticos.

desde já obrigado

Ricardo Pinto
Avatar do Utilizador
tonhao
***
 
Idade: 44
Mensagens: 121
Registado: sexta, 21/set/2007, 16:48
Localização: Évora/Montemor-o-novo

Mensagempor NunoSantos » segunda, 22/Oct/2007, 17:36

Boas Ricardo,
Do pouco que sei, mas do muito que tenho aprendido aqui no fórum, não se devem acasalar espécies onde exista consanguinidade, mas também é certo, que algumas vezes acasalamos pais com filhos, para apurar uma certa mutação (se não estou em erro), mas sobre a consanguinidade, o que tenho lido sempre é que não se deve fazer, as hipóteses de acontecerem problemas genéticos acho que são acrescidas quando existe consanguinidade.

No caso das pombas e rolas terem, a maioria das vezes, duas crias (macho e fêmea) não quer dizer que os irmãos fossem formar casal, não estou muito seguro que num pombal onde andasse tudo ao "molho e Fé em Deus" que sempre se acasalavam os irmãos, acho que a natureza não se comporta assim, mas vamos esperar por mais comentários, de pessoas com mais conhecimentos na matéria :)
NunoSantos
****
 
Idade: 39
Mensagens: 356
Registado: terça, 24/Oct/2006, 21:45
Localização: Ourentã - Cantanhede

Cruzamentos

Mensagempor Armando Moreira » segunda, 22/Oct/2007, 23:25

:D Ola a Todos!

Ui Tonhão tantas perguntas... assim é complicado... Vou tentar de uma maneira simples responder como sei as suas questões. Poderão haver outras opiniões. Ja sei que quando eu responder vão aparecer os especialistas para me rectificar. Eu não me importo porque é com a correcção dos meus erros que vou aprendendo. :lol: :lol: :lol:

Vamos por partes.

por que em algumas espécies como por exemplo as rolas e os pombos das crias que nascem se formam casais e podem criar sem nenhum problemas



Verdade se os casais forem saudáveis e não tiverem taras ou defeitos genéticos encobertos.

Este principio é igual para as rolas, os exóticos e o restos das suas aves.


O cruzamento entre indivíduos aparentados ou da mesma família é desigado cruzamentos consanguíneos. A consanguinidade é o processo mais rápido de obter indivíduos puros para uma determinada característica, desde que se faça uma selecção rigorosa dos acasalamentos, por exemplo.

A consanguinidade pode ser estreita (in-breeding) ou larga (line-breeding). Na consanguinidade estreita são cruzados (pai x filha) ou (mãe x filho) ou seja é feita entre parentes próximos ou do 1º grau. Na consanguinidade larga ou colateral o parentesco é mais afastado por exemplo (sobrinho x tia). Desta maneira estamos a fundar uma linhagem.

nestas espécies tenho de arranjar outros ou machos ou femeas para os poder cruzar por causa do sangue não é?



Quando temos uma linhagem em que os descendentes começam a degenerar ou a desviar do padrão, então nesse caso introduzimos sangue novo (Outcrossing). Ou seja vamos buscar aves novas fora com as características que faltam as nossas aves e que queremos reforçar na nossa linhagem.

Como disse anteriormente esta é a minha achega simples as suas questões. É uma assunto interessante mas que pode se pode complicar. Porquê? Porque existem vantagens e inconvenientes em cada tipo de cruzamento (in-breeding, line-breeding e outcrossing). Depende também dos objectivos que queremos alcançar com cada um. Mas isso é trabalho para os zootecnicos, não quero meter a foice em seara alheia... :lol: :lol: :lol: :lol:

Cordiais cumprimentos a todos, :)
Avatar do Utilizador
Armando Moreira
Site Admin
 
Mensagens: 1259
Registado: sábado, 14/Oct/2006, 22:38
Localização: Maia - PORTUGAL

Mensagempor Pedro121 » terça, 23/Oct/2007, 13:56

Só duas coisa, os borrachos de uma mesma ninhada não são sempre um casal, é mais provável o serem do que serem do mesmo sexo, mas isso é apenas uma questão estatística, mesmo sendo um casal e tendo vários parceiro á escolha eles não vão acasalar entre eles preferencialmente, e mesmo que acasalem não é necessariamente para toda a vida, os pombos não são particularmente fieis e os casais em colónia não se mantem muitas vezes de uma época para a outra.

A consanguinidade próxima deve ser usada só em casos pontuais e nunca por sistema
Pedro Ramalho
Pedro121
*****
 
Mensagens: 2752
Registado: terça, 17/Oct/2006, 09:46
Localização: Caldas da Rainha

obrigado a todos

Mensagempor tonhao » terça, 23/Oct/2007, 23:50

boa noite a todos

bem pelo que todos mais ou menos falam o melhor memos é arranjar alguem ou amigo ou conhecido que tenha as mesmas espécies e trocar aves não é? :?:

bem obrigado na mesma a todos mas mais esclarecimentos são sempre bem vindos de toda a gente.

um abraço

Ricardo Pinto
Avatar do Utilizador
tonhao
***
 
Idade: 44
Mensagens: 121
Registado: sexta, 21/set/2007, 16:48
Localização: Évora/Montemor-o-novo


Voltar para Artigos técnicos e de opinião

Quem está ligado:

Utilizador a ver este Fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante